sexta-feira, 15 de abril de 2011

QUERO VOAR NUM DENTE DE LEÃO

Foto: autor desconhecido

Quero pegar carona num dente de leão. Sair por aí, voando na suavidade que o vento leva. Leve. Flutuar pelo mesmo ar que respiro, como se fosse uma bailarina em pleno palco do teatro municipal. Sentir a leveza do vento batendo no rosto e ao mesmo tempo me guiando para achar melhor. Confio no vento, ele nunca me decepciona. Gosto de senti-lo no rosto, dele alisando meus cabelos. Gosto disto. Quero pegar carona num dente de leão, sobrado por uma criança ou por um adulto ainda cheio de esperanças. Num fôlego de vida tamanho, quero viajar. Voar, voar, pousar quem sabe num campo verde ou a beira de uma cachoeira. Pairar sobre folhas das árvores de outono caídas ao chão. Repousar. Quero pegar carona num dente de leão. Espalhar por aí a alegria que sinto em viver. Olhar a vida do alto, sobre um outro ângulo. Respirar fundo e ser leve, com só a leveza é capaz de nos tornar. Quero sentir esta liberdade, de estar sob a orientação do vento seguindo sem rumo mas ao mesmo tempo completamente tranquila. Quero pegar carona num dente de leão e que ele me leve para lugares que ainda não visitei. Que me traga sonhos que pensei impossíveis e que eu possa experimentar um jeito novo de viver e olhar a vida. Há vontades em mim que só um dente de leão e sua suavidade poderiam realizar. Por isto, quero pegar carona num dente de leão. Se vir algum por aí, pegue-o com carinho. Sopre-o com vontade e a coragem que só tem aqueles que têm esperança. Admire o flutuar de cada um, o espalhar das alegrias e ainda que em seu pensamento, me coloque nele, se coloque nele, e vamos juntos para onde ele nos levar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário